Início » Blog » Gestão Estratégica » Linha de Karman dos Negócios, a primeira barreira.

Linha de Karman dos Negócios, a primeira barreira.

nov 19, 2021 | 0 Comentários

karman

Você já ouviu falar na linha de Karman dos negócios? É um limite convencionado que fica a uma altitude de 100 km acima do nível do mar, usado para definir o limite entre a atmosfera terrestre e o espaço exterior. Esse limite foi designado como linha de Karman em homenagem a Theodore von Kármán (1881–1963), um engenheiro e físico húngaro-americano, que contribuiu significativamente nos campos da aeronáutica e da astronáutica. Foi ele quem primeiro calculou que aproximadamente a essa altitude a densidade da atmosfera terrestre se tornava tão baixa para fins aeronáuticos, que qualquer veículo a essa altitude teria que se deslocar a velocidades maiores que a velocidade orbital (24.000 km/h) para conseguir sustentação aerodinâmica. Devido a essas limitações se fazia necessário uma enorme fonte de energia para romper essa barreira, porém após vencer esse obstáculo, o atrito reduz consideravelmente e a necessidade de energia para dar a propulsão ao deslocamento fica extremamente mais fácil.

Acesso rápído ao conteúdo desse post

Quando conheci os estudos de Theodore von Kármán foi inevitável fazer uma analogia dos dois principais momentos de um negócio. Quando abrimos uma empresa enfrentamos muitas dificuldades, desde financeiras até de operação e se considerarmos a alta concorrência dos mercados conseguir criar um negócio sustentável é um grande desafio, muito similar a romper a linha de Karman dos negócios que para muitos já foi considerada uma barreira praticamente impossível de se ultrapassar.

Porém para os poucos negócios que vencem essa linha limitante, o crescimento empresarial se torna muito mais fácil pois a organização nesse estágio já possui recursos para financiar sua estratégia de crescimento. Nesse artigo vou explicar como podemos criar os propulsores para que a empresa decole e vença a primeira linha de Karman dos negócios.

Os estágios para a propulsão de um empreendimento

Você sabia que o lançamento de um foguete acontece por estágios? Isto é, são projetados secções cilíndricas que, quando encaixadas, dão forma ao foguete. Os foguetes mais modernos, utilizados atualmente para colocar satélites na órbita da Terra, por exemplo, apresentam somente dois estágios. Assim como para lançar um foguete ao espaço, para criarmos uma estratégia vencedora, capaz de impulsionar os resultados para novos patamares ela acontece em apenas dois estágios.

No caso dos foguetes o primeiro estágio do foguete é o mais robusto de todos. É a parte mais pesada, pois é feita para suportar todo o atrito com a atmosfera terrestre, sendo mais crítico, os engenheiros penaram para dominar essa tecnologia, somente em 1942 o foguete V2 alemão alcançou 100 km de altitude a partir da face da Terra, sendo o primeiro marco da exploração espacial rompendo a famosa linha de Karman dos negócios.

Percebem que quando conseguimos vencer um desafio para alcançar novos patamares de resultado o processo fica muito mais fácil? Foi assim também na exploração espacial após o foguete V2 ultrapassa os 100km de altitude o próximo marco foi lançar um satélite em órbita a cerca de 2000km, uma meta 20X superior a primeira barreira.

Porque é difícil romper com a linha Karman dos negócios

Quando abrimos uma empresa temos muitos desafios até conseguir se estabelecer e conquistar um espaço no mercado, nas pesquisas do IBGE apontam que a 60% das empresas fecham antes dos 5 anos, essa é a linha de Karman dos negócios, mas não pense que quem consegue romper a barreira dos 5 anos está numa situação confortável, você sabia que somente 25% das empresas chegam aos 10 anos de operação, as principais causas de fechamento de uma empresa está relacionado à:

  • Falta de planejamento e organização.
  • Falta de controle financeiro e fluxo de caixa disfuncional.
  • Problemas societários.

As empresas que não se planejam desperdiçam muitos recursos em áreas que não geraram resultados sustentáveis, propiciando um ciclo vicioso de falta de planejamento e  desorganização, a consequência é a perda de mercado devido à queda acentuada de performance. Com toda essa ineficiência o fluxo de caixa da organização é afetado, gerando uma grande dificuldade para manter a operação em níveis de financeiros saudáveis.

É nesse momento que ocorrem os problemas societários, sem “grana” para financiar a operação, o clima esquenta e a empresa segue para um rumo sem volta para o seu fechamento para 60% das empresas Brasileiras com menos de 5 anos infelizmente essa é uma dura realidade, conforme já validado pelo IBGE.

Como rompemos a primeira barreira de crescimento empresarial?

Para rompermos a primeira barreira de crescimento empresarial precisamos de somente 3 coisas:

  • Planejamento: Quando a empresa é pequena os recursos financeiros são limitados, para dar uma aliviada no caixa muitos gestores acabam pulverizando suas carteiras, inserindo em seu portfólio uma grande quantidade de itens, essa é uma estratégia que atrai novos clientes mas para que ele funcione e converta em vendas é necessário que o portfólio seja competitivo, porém é praticamente impossível vencer a concorrência quando temos um grande número de produtos para comercialização. O resultado é a elevação do custo do estoque e uma grande imobilização de recursos, com o tempo essa estratégia acaba ruindo por dentro o negócios dificultando seu crescimento. Esse é o primeiro sintoma de uma organização que não tem um bom planejamento, não é identificado o mercado alvo nem segmentado o público para atendimento, o resultado é a perda de competitividade.
  • Organização: Após vencer o desafio do planejamento a próxima grande barreira é a desorganização, o geralmente o gestor fica perdido com tantos projetos simultâneos, alimentando uma rotina de apagar incêndios. A solução é simples basta implantar programas de gestão com foco em padronização assim é possível aliviar as linhas de liderança para focar no resultado.
  • Gestão Financeira: Para o lançamento de um ônibus espacial, antes de pensar em dar a ignição, é preciso avaliar se temos todos os recursos necessários para seu lançamento. Da mesma forma que o foguete espacial não decola sem combustível uma empresa não vai longe se não gerar lucro. Por isso a gestão financeira é um processo muito importante é nela que avaliamos o risco de uma crise dificultar a execução de nossa estratégia. Quando a empresa está em um cenário desfavorável (dificuldade financeira) a primeira ação é implantar um plano recuperação financeira. 

Gostaria de uma ajuda para romper a linha de Karman dos negócios?

Se você gostaria de conhecer mais sobre o método que usamos para romper a linha de Karman e aumentar o faturamento, dá uma olhada no link logo abaixo, esse é um curso gratuito.

Agora se você gostaria ter acesso a uma ajuda mais customizada, tenho uma excelente noticia, mensalmente o instituto 6 Sigma oferece algumas vagas de sessões estratégica gratuitas, dá uma olhada nesse link abaixo:

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *